Saiba como fazer uma reserva de emergência

Fazer uma reserva financeira e, assim, ficar preparado para uma emergência é de extrema importância. Porém, a gente sabe o quanto isso pode ser difícil pra muita gente, já que muitas vezes nosso salário parece não cobrir todas as contas.

Por isso, vamos dar algumas dicas e mostrar o caminho pra conseguir. Bora aprender!

Leia também:

Orçamento apertado? Confira essas dicas para organizar as finanças

Dicas para quem quer sair do vermelho e viver numa Boa

Mitos e verdades sobre o crediário

Motivos para ter uma reserva de emergência

Imprevistos acontecem, por mais que a gente planeje as nossas finanças nos mínimos detalhes. Por isso, o ideal é que tenhamos uma certa quantia de dinheiro guardada pra esses momentos, até que tudo se resolva e volte ao normal. Os imprevistos podem ser muitos: desemprego, carro quebrado e até coisas boas mas que exigem gastos, como um convite pra ser padrinho de casamento de um parente ou amigo, por exemplo!

O que você vai fazer?

Está aí uma boa razão para tentar começar uma reserva de emergência. Tendo dinheiro, é mais fácil passar por esses imprevistos sem ter de cortar muitos gastos.

Em uma situação que envolve problemas de saúde, então, ter uma reserva de emergência é ainda mais importante.

Não é comum um momento como o que estamos vivendo hoje, de pandemia do coronavírus, no qual muita gente perdeu sua fonte de renda. Mas pode ocorrer. Estamos vivendo isso na pele. Ter tranquilidade financeira para passar esta fase pode fazer a diferença inclusive na sua saúde!

Qual o tamanho ideal da reserva de emergência?

Esta é uma das dúvidas mais comuns entre as pessoas que querem fazer uma reserva de emergência.

Então, o ideal é que ela cubra pelo menos 6 meses das despesas mensais básicas de uma pessoa ou da família.

Ou seja, não há uma quantia exata. Tudo vai depender da sua renda, da sua média mensal de gastos, e do quanto você pode guardar. O importante é que tenha o suficiente pra cobrir alguns meses, entendeu?

Como começar a reserva?

Com um bom planejamento financeiro para saber de quanto é a sua despesa mensal. Sabendo deste valor, avalie quanto você consegue poupar por mês para saber quanto tempo precisará pra fazer a reserva de dinheiro.

Meus ganhos estão todos comprometidos… e agora?

Bom, se tudo o que você ganha já tem destino, vai ser preciso avaliar se dá pra cortar alguma despesa. Comece por avaliar onde vai seu dinheiro mensalmente e separe o que é mais indispensável e o que não é pra ver se dá pra cortar alguma coisa.

Para identificar gastos que podem ser cortados, liste em ordem crescente os gastos prioritários. Os itens que ficarem no fim da lista serão os menos importantes. Às vezes, nem é preciso cortá-los, mas apenas reduzi-los.

Pode parecer algo pequeno, mas é o primeiro e mais importante passo! Você já poderá começar a usar este dinheiro para a reserva financeira.

Defina um valor mensal para poupar

Estabeleça um valor mensal para ser guardado. Uma boa dica é por esse dinheiro numa conta ou poupança que não seja aquela que você usa para suas despesas do dia a dia, pra não correr o risco de usar o dinheiro pra outras coisas.

Ainda que o valor definido seja pequeno, é importante realizar este passo para que a rotina para a construção da reserva de emergência seja estabelecida.

Onde deixar o dinheiro

Claro que não é embaixo do colchão! Educadores financeiros recomendam abrir uma conta poupança só para guardar o dinheiro da reserva financeira.

Se preferir, pode aplicar em algum outro tipo de investimento. Mas observe que a reserva de emergência precisa ter liquidez e, preferencialmente, baixo risco.

Acompanhe sua reserva financeira

A cada 6 meses ou um ano, avalie se realmente a reserva de emergência está crescendo e quantos meses de despesas básicas mensais ela já cobre.

Se já foi alcançado o valor estabelecido quando você começou a fazer a reserva de emergência, aproveite que já aprendeu a poupar e estabeleça uma nova meta para continuar guardando este dinheiro!

Mais

Comentários