Não deixe pendências na sua vida financeira

Muito se fala que é fundamental fazer um orçamento financeiro pra ter controle do próprio dinheiro. Mas será que só isso basta?

Na verdade, ter os gastos e ganhos na ponta do lápis é só o primeiro passo. É preciso complementar o lado financeiro organizando a vida no geral para ter controle do próprio dinheiro.  Isso significa cuidar também do emocional e parar com o “amanhã eu cuido disso”.

Leia também

O momento é de analisar os gastos que pesam em seu orçamento

Você sabe quanto pesam as contas básicas no seu orçamento?

Orçamento apertado? Confira essas dicas para organizar as finanças

Deixar pra depois as pendências na vida, principalmente as financeiras, pode fazer com que sua vida se complique economicamente, o que também pode mexer com seu emocional. Uma coisa sempre pode influenciar a outra!

Então, mão na massa e vamos tentar organizar a vida, assim como as suas finanças, com as dicas abaixo.

Quanto entra de dinheiro no seu bolso?

Você sabe exatamente qual é a sua (ou da sua família) receita mensal? Isso é fundamental para ter controle do próprio dinheiro. Pra saber o que entra no seu bolso todo mês – se você é empregado com carteira assinada -, contudo, é essencial saber o salário líquido. Aquele valor que está em seu contrato de trabalho, o chamado salário bruto, não é o que realmente você receberá no fim do mês. Ele terá descontos de Imposto de Renda, INSS, gastos com plano de saúde e outros.

Se você é um microempreendedor, defina o valor mínimo que você fará de retirada todos os meses. É com este valor que você irá arcar com suas despesas. Pode ser que em alguns meses você consega fazer retiradas maiores. Em outros, menores. Então, fixe seu orçamento doméstico no valor mínimo para não faltar dinheiro quando for menor e guarde um pouco quando for maior, para compensar os meses em que faltou dinheiro.

Quanto sai de dinheiro do seu bolso?

Não dá pra ter uma vida organizada se você apenas tem uma ideia de quanto gasta todo mês. Isso faz com que você não tenha nenhum controle do próprio dinheiro. Então, prepare a sua planilha ou caderninho e registre tudo. Comece colocando o valor real que você recebe e, em seguida, vá relacionando seus gastos fixos, variáveis, as dívidas. Ou seja, tudo o que você paga no mês, assim como os compromissos futuros, como financiamentos.

Você pode aproveitar a planilha de Controle de Orçamento disponibilizada gratuitamente no site Consumidor Positivo para começar a organizar sua vida financeira. Aliás, aproveite e baixe a Cartilha do Orçamento Doméstico, que traz ótimas dicas pra você se organizar financeiramente.

No que você gasta seu dinheiro?

Quando a planilha estiver preenchida você vai ver com clareza pra onde seu dinheiro está indo. Este pode ser um excelente momento para você começar a organizar sua vida no geral. O primeiro passo é avaliar onde pode cortar ou reduzir despesas que não são essenciais.

Muitas vezes ter um olhar sobre as finanças comportamentais – estudo da psicologia econômica que investiga as emoções que estão por trás de nossas decisões financeiras – pode fazer muita diferença para não perder dinheiro. E isso nada mais é do que não deixar o irracional agir.

Por exemplo: quem nunca comprou uma coisa apenas pra se sentir melhor após ter um dia ou semana difícil?

Não deixar o lado emocional afetar nosso comportamento financeiro é muito importante pra saúde do nosso bolso.

Contas só na cabeça

Muito mais difícil do que criar uma planilha de orçamento é se manter fiel a ela. E aí, de novo, é preciso mudar seu comportamento financeiro.

Portanto, crie o hábito de manter sua planilha sempre atualizada e olhar pra ela toda vez que a vontade de comprar foi maior que o seu orçamento.

Se você só tiver essas contas na cabeça, pode acabar errando e gastando mais do que ganhou no mês.

Reavalie seus gastos

É bem possível que você tenha alguns gastos com coisas que não são necessariamente essenciais. E aqui a gente nem tá falando sobre gastos com lazer, e sim de custos que muitas vezes não nos damos conta de que não são necessários.

Por exemplo, pagar assinatura de telefone fixo, sendo que o celular é o seu principal meio de comunicação.  Outra é a tarifa bancária. Você pode optar por uma conta corrente isenta desta cobrança.

Se tiver vários cartões de crédito, pense em se desfazer de alguns. Além de economizar na anuidade, pode te ajudar a gastar menos, uma vez que reduzirá o limite de valor para uso.

Não deixe de analisar seus gastos maiores. É bem possível que eles têm ‘gordura’ que podem ser eliminadas. As compras de supermercado, são um bom exemplo. Mesmo que você determine um valor mensal para esta despesa, pode reduzi-lo ao substituir itens por mais baratos, trocar de marcas e até mesmo cortar alguns produtos.

Olhe para você

Organizar sua vida pessoal também pode reduzir seus gastos mensais, sabia? Arrumando seu guarda-roupas, por exemplo, pode notar que tem mais roupas do que necessita e reduzir os gastos com isso (além de doar o que não usa mais e fazer o bem!).

Este olhar organizacional também deve ser dirigido à despensa da casa. Às vezes acabamos comprando coisas que não precisariam ter sido compradas na última ida ao supermercado. Resultado: alimentos vencidos e dinheiro gasto à toa.

Ao cuidar da organização de sua casa, portanto, você conseguirá reduzir seu consumo, poupar dinheiro e, claro, ter controle do seu dinheiro!

Consulte grátis seu CPF e SCORE
Comece agora uma nova vida financeira